Como decorar o jardim da sua casa: dicas de plantas e de mobiliário

Como decorar o jardim da sua casa: dicas de plantas e de mobiliário
No meio da rotina corrida do dia a dia, uma parada para descansar no jardim de casa pode ser uma boa pedida. O local que dialoga com a natureza não precisa ser muito extenso:  sacadas, entorno de piscinas e espaços pequenos para jardim de inverno são diferentes opções.
 
Nesses ambientes, é necessário um cuidado especial para conservar as plantas e os móveis expostos ao clima – além de muita criatividade para transformar espaços de poucos metros quadrados em lugares aconchegantes.
 
Escolha das plantas
 
As espécies escolhidas dão o tom do ambiente. Palmeiras e samambaias podem dar uma cara mais tropical. Cactus, além de imprimir um tom desértico ao ambiente, são de fácil manutenção. Já bambu, junípero e azaleias criam um estilo oriental. Temperos e ervas medicinais, como na foto em destaque, ocupam pouco espaço e são de fácil manutenção. Além do aroma, uma erva recém tirada do pé é sempre mais saborosa que a comprada no supermercado.
 
Espécies frutíferas são um pouco mais difíceis de manter, mas ainda podem ser plantadas em diferentes espaços. Elas exigem pelo menos quatro horas por dia de sol, irrigação, poda, adubo e ventilação e um vaso com drenagem eficiente. Espécies como jabuticabeira, citros em geral, pitanga, amora, morango e goiaba medem, em média, de 1,5 metros a 2 metros, adaptando-se bem a vasos em sacadas.
 
Outras plantas, como babosa, espada-de-são-jorge, gérbera, lírio-da-paz, palmeira-ráfis e samambaia são conhecidas por ajudar e purificar o ar.
 
Para quem tem pouco espaço, estruturas de ferro e prateleiras na parede para colocar os vasos são uma boa solução. Os vasos são um detalhe extra do decór do local, mas os de cerâmica e de cimento são mais porosos e por isso têm uma boa drenagem do excesso de água. Para apartamento, o mais indicado são os de plásticos que, além de mais leves e práticos, exigem menos regas do que os anteriores justamente por serem menos porosos e perderem menos água.
 
Escolha dos móveis
 
O mobiliário para o jardim é vasto: estruturas com madeira aparente e almofadas de tecido com tratamento para área externa, propostas em fibras, plástico, ferro ou corda são algumas das opções para o ambiente externo. A combinação de panos e padrões dá o tom da peça, com listras, estampas e tonalidades tornam a proposta mais ou menos alegre.
 
Peças básicas cabem na composição de propostas em pequenos ou grandes espaços, como a poltrona da linha Terrazzo Fitt (abaixo) e as peças especiais, como a poltrona com pufe Pão de açúcar com trama de corda náutica (acima). Esse conjunto tem a flexibilidade de funcionar como uma chaise e poder ser usado como dois assentos.
 
Outros móveis, como esta cadeira batizada de Poltrona Elena, tem tratamento que permite deixar o móvel exposto ao sol sem o risco de desbotar.
 
poltrona elena tramontina
 
Cheia de curvas, a chaise Octo, da Tramontina, oferece um toque arrojado ao jardim. Dá para utilizar cores vivas, como o laranja da foto, sem pesar na decoração da área externa.
 
Poltronas Lounge e Ostra, de fibra branca, e mesa de centro Tabatinga, de fibra branca e madeira cumaru cria o estilo navy sempre adequado a áreas externas, além de dar um efeito visual relaxante.
 
móveis jasmim
 
Um toque extra de criatividade
 
Materiais descartados, como sapatos antigos, devidamente ornamentados com flores e plantas resultam em objetos funcionais.
 
Investir em luminárias pode criar um clima especial para o espaço durante a noite como no ambiente “Paisagem: como se faz” da Exploflora de 2013.
 
Outra opção para a iluminação do jardim são estas peças de barro que ficam apoiadas no chão. Os objetos têm design assinado por Marta Vaz.
 
Se o espaço do jardim for extenso, vale a pena investir em ombrelones. Esse acessório serve como decoração e também é o salva-vidas dos raios solares. Há opções laváveis, com ou sem possibilidade de inclinação, em material anti-ferrugem e tecidos resistentes ao sol.
 
Casas e bebedouros para passarinhos são um convite para uma maior integração com a natureza, além de dar um tom alegre ao ambiente, como no projeto Natureza Conectada, de Ana Carina Estevam de Borba e Maira Maciel, com colaboração de Lena Arias e Maristela Valerin.

 

Voltar